O Sapo Guaraci e a Fada Estrela

O Sapo Guaraci e a Fada Estrela

A Lagoa Turmalina – (assim chamada pelas águas coloridas de um azul intenso), fica lá pelas bandas do Nordeste e se tornou ponto de referência em termos de preservação ambiental.
Os anfíbios sonham com o lugar - sem perigo de ataques devido a proteção dos fiscais da natureza.
Mais que isso, em suas águas completamente limpas vivem em harmonia inúmeras espécies de peixes bem como sapos, cágados e jacarés do papo amarelo.
Nas margens forradas de verde é comum ver os jacarés tomando sol, as tartarugas passeando sem pressa e os sapos, nos finais de tarde dando saltos ornamentais em busca dos grilos – o alimento preferido!
Nas noites de lua cheia os peixes fazem um espetáculo à parte - cardumes coloridos banhados de prata.
Perto da nascente mora uma família de sapos cururus – Rã Genalba a mãe, Sapo Ubaldo, o pai e os três filhos - Guaraci, Guararema e Ubaldo Junior.
Na parte da manhã Dona Genalba os três para o banho de sol.
O dia ainda está por vir quando Ubaldo sai para o trabalho na lagoa vizinha, onde leciona para os anfíbios Respeito ao Meio Ambiente e Preservação da Natureza.
Genalba tem o maior orgulho do marido!
Todos os dias Ubaldo convida o filho mais velho - Guaraci para as aulas.
No entanto, o sapo é mestre em inventar desculpas.
Mal caça os insetos para se alimentar.
Vai resmungando para o banho de sol.
Quando retorna o restante do dia só pensa em dormir.
Já pequena rã Guararema, coloca ordem em seu cantinho, separa os cadernos e livros - todos à prova d’água fabricados com materiais recicláveis.
Em seguida vai para a escolinha na outra margem da lagoa.
Ubaldo Junior por ser o mais novo brinca o dia todo.
Os sapos cururus sabem que brincar é algo importante para os pequenos, que a infância bem vivida resulta em adultos felizes.
Guaraci não dá muita importância para a beleza do lugar, para a família, para os irmãos.
Mal chegara a adolescência queria  porque queria se mudar de lagoa.
Numa manhã ensolarada acordou mais cedo do que de costume, saltou aqui e acolá.
Não havia ninguém em casa.
Procurava gafanhotos perto da pedra grande quando resolveu se espreguiçar enquanto pensava...

- Ah como eu queria viver na Lagoa Cascalho. Lá sim os sapos são felizes! Não há hora para nada, folia o dia inteiro, não é preciso sair à procura dos insetos.

Pensava deste modo, porque ficara sabendo através de Onofre, o Cágado que mora na Lagoa Cascalho que não havia qualquer trabalho, tudo vinha pronto, não era preciso estudar, muito menos obedecer a família.
Vagava no pensamento, quando a fada se aproximou.
Levou o maior susto, nunca havia visto uma!
De repente foi chamado pelo nome.

- Guaraci...

Era a voz da doce fada.

- Quer dizer que você anda pensando em viver na Lagoa Cascalho?

- Como a senhora sabe disso Dona Fada?

Indagou Guaraci tremendo de medo.

- Leio pensamento de anfíbios.

Disse a fada de nome Estrela...

- Pois é queria sim ir para lá...

Já sou adolescente posso muito bem cuidar da minha vida.

Insistiu, insistiu....

De repente a fada disse:

- Suba nas minhas asas, te levarei para a lagoa!

- Oba! Falou Guaraci todo feliz.

Em poucos minutos chegaram ao lugar.

- Escolha um lugar para ficar - disse a Fada vestida de azul.

- Como? Escolher?

- Sim, escolher! Aqui não tem nada pronto, de modo que você deve construir o seu canto em uma das margens.

Quando Guaraci desceu das asinhas da fada ficou abismado com o que vira. A lagoa era cercada de arame farpado, as águas poluídas, escuras.
Jacarés do papo amarelo com os olhos arregalados feito lanternas espreitavam à procura dos intrusos.
Os cágados moravam na outra margem.
Eram de poucos amigos.

- E os sapos cururus? - perguntou para a fada.

- Ah, tem apenas alguns deles que vivem dormindo o dia todo, nem adianta procurar ajuda.

 

- Então, o que está esperando para entrar na lagoa, você não queria tanto vir para cá? - Indagou a fada.

- Mas....mas é que....

Guaraci queria falar, mais o medo diante do cenário impedia.

- Já sei, disse a Fada...

- Sim!

- Não disse para você que leio pensamentos de cururus? Pois então! Agora que você percebeu que aqui não
é nada do que imaginou, quer voltar rápido para casa, não é mesmo? Hoje você fica por aqui, amanhã no
fim do dia passarei para te ver.

Como não havia outro jeito Guaraci tremendo de medo saiu em busca de um lugar para ficar.
Saltou ao redor da lagoa umas dez vezes.

 

E o medo dos jacarés!
 

Com fome saiu à procura de insetos.
Poucos encontrou - a vegetação do lugar praticamente secara, os insetos haviam partido.
Achou aquele dia o mais comprido de toda a sua vida.
Não via a hora de a Fada Estrela vir buscá-lo.
Nem se atreveu a procurar os cururus!

 

E o medo dos jacarés!

Seus olhos brilharam quando Estrela chegou.

- Venha Guaraci, vamos para a Lagoa Turmalina, sua família está te procurando desde ontem. Seu pai nem foi para o trabalho!

Quando se aproximou de casa percebeu que bandeirinhas coloridas adornavam o feliz lugar.
Na grama verdinha sob a luz da lua cheia um banquete de insetos!
Os irmãos choraram de alegria quando o viram.
Os pais o abraçaram com ternura.
Guaraci agradeceu a Fada Estrela, e pela primeira vez chorou.
Emocionado pediu desculpas para todos.
A família reunida fez a Prece para Natureza, em seguida compartilhou a refeição.
Passadas algumas luas Guaraci se tornou notícia na lagoa!
Todos os cururus comentavam da mudança – o interesse pelos estudos, da participação no seio da família.

Hoje, quando vê a Fada Estrela, salta em companhia dos irmãos para compartilhar a felicidade que sente ao viver naquele lugar lindo e de ter a família que tem!

(Ana Stoppa)

 

 

Copyright©2012. Todos os direitos reservados
Vedado copiar, distribuir, exibir, executar, criar
obras derivadas, nem fazer uso comercial desta obra
sem a permissão da Autora.

 

Comentários

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!