O Socorro do Planeta

O Socorro do Planeta
O Planeta saturado agoniza dia a dia.
E o pretenso progresso torna a vida vazia.
Mares, rios e lagoas repletos de detritos.
A terra pede socorro, atente escute o grito.
 
As matas destruídas de forma rude de fria.
Morrem os animais, canta triste a cotovia.
Peixes já são escassos, prenúncio de fome,
Terror.
A terra pede socorro, escute o grito de dor.

O respeito à Natureza, deve ser a cada dia
Mais e mais valorizado...pra tudo não ser
Destruído e se tornar nostalgia.
A terra chora cansada, a alma em agonia.

Uma luz enfim desponta reluzente, inebria.
O despertar da consciência de gente vazia.
Um milagre acontece, no Planeta triste aflito.
Como que por magia todos ouviram os gritos.

A Terra respira enfim, repleta de alegria.
Os rios despoluídos, canta feliz a cotovia.
As matas hoje preservadas, livres da
Ganância humana.
Respeito à Natureza, à Mãe Terra Soberana!

                                           (Ana Stoppa)
 
 
Copyright©2012. Todos os direitos reservados
Vedado copiar, distribuir, exibir, executar, criar
obras derivadas, nem fazer uso comercial desta obra
sem a permissão da Autora.

 

 

Poema escrito em dezembro/2010.
O texto foi musicado pelo Compositor da Orquestra de Violeiros e Berranteiros de Mauá, Antenor de Oliveira. Está gravado no CD Um Presente Para Mauá,lançamento oficial 11.08.2012, Teatro Municipal de Mauá/SP.
A canção concorreu no X Fecacri - Festival da Canção Católica emmarço/2012. Dentre as 16 Bandas participantes foi a segunda mais votada. Fará parte do CD da Diocese de Santo André em elaboração, previsão de lançamentom final de 2012.
 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!