A Água Pede Respeito

A Água Pede Respeito

Fechem a torneira direito

Aprendam a me cuidar

Deus fez o mundo perfeito

Mais preciso do respeito

Um dia posso acabar

E no planeta faltar

Se eu morrer,  não irei só

Pois sem mim morrem as vidas

- Deus me fez para vocês.

Sou vida, sou alimento.

O desperdício me dói

Mais nada posso fazer

Silenciosa,  jorro aos montes

Nas mangueiras irresponsáveis

Muitos ainda não sabem

O consumo  não tem a volta

Em muitos lugares da terra

Já deixei de existir

As pessoas em desespero

Não sabem para onde ir

Mas vocês tem-me inteira

Farta e cristalina

Habito os  leitos dos  rios

Embalo os teus oceanos

Jorro nas fontes cansadas

Nos pequeninos riachos

Nas minas abandonadas

Sou farta para os  banhos

Abundante nos batismos

Sou bálsamo para a  sede

Sou vida,  não sou parede

Cuidem um pouco de mim

Preciso da ajuda dos homens

Respeitem os leitos que vivo

Morada de muitas vidas

Experimento a agonia

De ser pelos homens  poluída

Silenciosa  amargo a dor

De  natureza ferida

Atentem,  hoje imploro,

Escutem  meu grito de dor

Preciso de proteção

Promovam a conscientização

O respeito e a racionalização

 Antes que seja tarde
Antes que eu me esgote

 

22 de Março -  Dia Mundial da Água.

 

Copyright©2012. Todos os direitos reservados
Vedado copiar, distribuir, exibir, executar, criar
obras derivadas, nem fazer uso comercial desta obra
sem a permissão da Autora.

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!